Infecções causadas pelo Zica Vírus em Gestantes e Recém-Nascidos

O Zika vírus causa receio e muito medo na população, principalmente em gestantes ou famílias com recém-nascidos. Esse vírus é transmitido pelo mesmo mosquito responsável pela dengue, o Aedes aegypti, e pelo Aedes albopictus.

Os sintomas são semelhantes aos da dengue, mas podem ocorrer complicações graves. A mais conhecida (e temida) é a microcefalia em bebês recém-nascidos. Entenda o que é Zica vírus e saiba tudo sobre as infecções em gestantes e recém-nascidos:

O que é Zica vírus

É uma doença transmitida pele mesmo mosquito da dengue, também conhecida como ZKV. O ciclo de transmissão começa quando a fêmea deposita os ovos na água parada. 48 horas depois, as larvas saem dos ovos e ficam nessa mesma água por uma semana, até tornarem-se mosquitos.

A procriação de mosquitos é assustadoramente rápida, sendo que o seu ciclo de vida é de 45 dias. Geralmente, eles acasalam no segundo dia da vida adulta. Antes de depositar os ovos, as fêmeas precisam alimentar-se de sangue, isso significa que as chances de ser picado por um deles é imensa, principalmente próximo ao foco de criação. Após ser picado, os sintomas demoram de 3 a 12 dias para aparecerem.

Os locais mais propícios para o desenvolvimento desses mosquitos são os locais quentes. Os ovos, geralmente, são depositados em lugares quentes e úmidos, como em água parada. Eles podem “grudar” em determinadas superfícies e serem transportados por longas distâncias, esperando o local perfeito para eclodir.

Sintomas Zica vírus

Os sintomas das infecções causadas pelo Zica vírus são semelhantes aos da dengue. Sendo eles:

  • Febre alta;
  • Dor muscular;
  • Dores de cabeça;
  • Dor atrás dos olhos;
  • Erupções cutâneas;
  • Coceira nas erupções;
  • Conjuntivite, mas sem a secreção;
  • Dor abdominal;
  • Diarreia ou constipação;
  • Fotofobia;
  • Úlceras na mucosa oral.

Zika vírus em gestante

Devido ao surto de microcefalia, muitas gestantes sentem-se apreensivas com relação ao mosquito e à doença. Quando uma grávida é picada pelo mosquito, os sintomas mais comuns são:

  • Manchas no corpo;
  • Coceira;
  • Febre alta;
  • Conjuntivite;
  • Dor nas articulações.

No entanto, a maior preocupação é com o bebê, pois o vírus pode atingir a placenta, o líquido amniótico e o bebê. Isso pode causar a temida microcefalia. Contudo, nem sempre a gestante que sofreu com as infecções causadas pelo Zica vírus terá um bebê com problemas de formação.

Zika vírus em recém-nascidos

Se a mãe teve infecções causadas pelo Zica vírus na gravidez, o bebê poderá sofrer com o vírus. A consequência mais conhecida é a microcefalia, doença em que o bebê nasce com a cabeça menor do que o padrão. Vários outros problemas podem acontecer e são chamados de síndrome congênita da Zica.

Além da microcefalia, o bebê poderá sofrer com alterações cerebrais, como calcificações e ventriculomegalia. Também, é provável alterações nos olhos, na audição e no musculoesquelético.

Nem sempre, a criança nascerá com algum problema da síndrome congênita da Zika, mas, mesmo nestes casos, a criança precisará de acompanhamento médico, durante os primeiros anos de vida. Somente assim será possível avaliar se o vírus não causou nenhum outro problema que não seja tão evidente.

Como evitar infecções causadas pelo Zica vírus

A melhor maneira de evitar as infecções causadas pelo Zica vírus é a prevenção. Eliminar os focos de contaminação é o primeiro passo. Evitar água parada é uma das principais medidas preventivas, pra isso: não acumule pneus, latas, garrafas vasos de flor e outros objetos que possam juntar água. Os potes de água e comida dos animais de estimação devem ser lavados diariamente e a água trocada.

Usar roupas claras ajuda a evitar que o mosquito se aproxime, além de facilitar a observação dele. Se possível, sempre use mangas longas e calças compridas.O uso de repelentes também é recomendado, no entanto, é preciso usar corretamente, principalmente durante a gestação e em crianças pequenas. Evite viajar para locais muito quentes ou que tenham possíveis focos de contaminação.

Ao sentir algum sintoma, não se automedique e procure imediatamente um médico, para avaliação e tratamento adequados.